Operação Safra tenta reduzir filas em Paranaguá

18 / 03 / 14

A previsão é que 450 mil caminhões descarreguem no porto paranaense.

IMG_1754

                                                                                                                                                                                                                                                                     Crédito da Imagem: Sâmar Razzak/ Appa

O Brasil está vivendo uma nova safra recorde na temporada 2013/2014. Para o transporte terrestre de grãos até os portos, isso muitas vezes significa filas, muito tempo de espera e dores de cabeça para caminhoneiros, exportadores e operadores portuários.

Pensando nisso, o Governo do Paraná lançou mais uma edição da Operação Safra. Até agora a iniciativa parece estar tendo sucesso, pois o Porto de Paranaguá, por exemplo, já registrou alta de 11% na exportação de granéis e o volume de caminhões recebidos aumentou 36,5% apenas no primeiro bimestre de 2014, segundo dados oficiais. No entanto, até o momento não foram registradas filas.

O programa está realizando blitzes educativas em cidades como Ponta Grossa, Maringá e Cascavel, orientando os motoristas quanto às regras de descarga do escoamento para que não haja acúmulo de carretas no acesso ao Pátio. A estimativa é que este ano o porto receba cerca de 450 mil caminhões. Folders informativos estão sendo entregues aos condutores e também orientam em relação à limpeza das caçambas. Sacos de lixo estão sendo entregues na entrada do Pátio de Triagem para que o resíduo das carrocerias seja descartado de maneira correta.

Outro artifício que está ajudando o cotidiano de caminhoneiros e dos trabalhadores portuários é o Carga On Line, sistema que organiza a entrada de graneleiros ao Porto de Paranaguá. A ferramenta faz a sincronia entra a chegada dos veículos e o horário previsto para os navios atracarem.

Mais informações aos profissionais que têm a cidade paranaense como destino podem ser obtidas no http://www.operacaosafra.pr.gov.br/.

Tags:

Deixe uma resposta

    Nós utilizamos cookies

    Queremos melhorar sua experiência de navegação em nosso site. Ao continuar a utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

    Para mais informações, por favor veja nossa Declaração de Privacidade.

    OK