Atego e Atron se tornaram estrelas de seus segmentos

26 / 09 / 13

A Mercedes-Benz está se consolidando como uma marca multicampeã em 2013. Desta vez, a fabricante ganhou quatro troféus concedidos pelo Prêmio Marca Brasil 2013, organizada pela Trio International Distinction e revistas técnicas de diversos setores.

Os títulos vieram através dos modelos Atego e Atron, que consolidaram-se como vencedores nas categorias “Caminhão Médio” e “Caminhão Semipesado” e contaram com os votos dos leitores da revista O Carreteiro. A empresa recebeu o prêmio Top Max, concedido às companhias cujas marcas foram campeãs em oito edições ou mais. Para completar o quadro de troféus, a Mercedes também levou para casa o Top Absolute, reservado àquelas que venceram de forma consecutiva esse prêmio desde sua criação, em 1999.

Os prêmios conquistados recentemente pelas linhas Mercedes-Benz ressaltam uma longa tradição. Os Médios e Semipesados Atego e Atron, por exemplo, são reconhecidos por sua confiabilidade, força e resistência para o trabalho pesado, além de apresentarem versatilidade de aplicações e reduzido custo operacional. Ambos veículos são indicados para transporte de curtas, médias e longas distâncias e severas operações fora de estrada.

“Estamos muito felizes com esse reconhecimento. Agradeço aos leitores da revista ‘O Carreteiro’, que escolheram a Mercedes-Benz como melhor marca de caminhões médios e semipesados e aos clientes que nos dão nossa maior vitória: a sua preferência”, declarou Gilson Mansur, diretor de Vendas e Marketing de Caminhões da Mercedes-Benz do Brasil.

O reconhecimento do público e crítica especializada confirma o acerto estratégico da Mercedes-Benz em aumentar seu portfólio de Médios e Semipesados com o lançamento recente dos veículos Atego 1729 coletor de lixo e Atron 1719 nas versões Bebida, Plataforma e Basculante.

“Estamos muito felizes com esse reconhecimento. Agradeço aos leitores da revista ‘O Carreteiro’, que escolheram a Mercedes-Benz como melhor marca de caminhões médios e semipesados e aos clientes que nos dão nossa maior vitória: a sua preferência”, declarou Gilson Mansur, diretor de Vendas e Marketing de Caminhões da Mercedes-Benz do Brasil.

O reconhecimento do público e crítica especializada confirma o acerto estratégico da Mercedes-Benz em aumentar seu portifólio de Médios e Semipesados com o lançamento recente dos veículos Atego 2430 6×2 e Atego 1729 coletor de lixo e ainda o Atron 1719 nas versões Bebida, Plataforma e Basculante.

Tags:

24 Comentários:

  1. emerson cardozo disse:

    olá com relação a minha pergunta também sou a favor da idea de fazer um atron “bicudo” mais potente ouço muitos elogios sobre ele (o 2324, e o 1635) menos na questão de potencia que me falam que ainda tem poca comparada as outras.
    por queria expressar minha opinião gostaria que eles pudessem ser mais potente, mas como meu pai diz ”mercedes é mercedes” um dia ainda terei um só falta o dinheiro kkkk

    • Mercedes-Benz disse:

      Olá, Emerson! Vamos encaminhar sua sugestão aos responsáveis para conhecimento, ok? Ainda assim, por que não vem nos fazer uma visita para conhecer as condições de aquisição? Com certeza um de nossos concessionários irá lhe apresentar uma proposta perfeita para o seu orçamento! Basta acessar http://www.mercedes-benz.com.br/concessionarios para localizar a mais próxima. Abraços!

  2. Philip disse:

    Olá meus caros amigos da Mercedes-Benz ! Deixo esse meu comentário para lhes dar os parabéns pelos cinquenta e oito anos da Mercedes caminhões aqui no Brasil. Sei que é preciso muito trabalho para manter a marca como a mais reconhecida e admirada nos últimos anos. Quero falar que meu pai é um feliz proprietário de um Mb accelo , e que está muito satisfeito com o desempenho , economia e produtividade do caminhão. Eu admiro muito mesmo os caminhões da marca Mercedes-Benz ,todos os modelos tem um designe único e cada um tem um detalhe que me fascina sendo meu preferido é claro o gigante Actros . Assim como deve ser o de vocês também. Bom é isso , parabéns mais um vez pelo sucesso e aguardo ansioso para ver os próximos modelos da marca ! Aquele abraço e até .

    • Mercedes-Benz disse:

      Oi, Philip! Valeu pelo carinho e atenção conosco. Nossa missão é sempre oferecer o melhor para os nossos clientes, e sua mensagem nos mostra que estamos no caminho certo. Que a nossa estrela continue sempre brilhando nos quatro cantos deste nosso imenso Brasil. Conte sempre conosco. Até mais!

  3. Vinicius disse:

    Uma pergunta: os Atron 2324 e 2729 podem receber 2° eixo direcional, elevando o PBT legal de ambos para 29000kg? Desde já agradeço.

    • Mercedes-Benz disse:

      Olá, Vinicius! A Mercedes-Benz não recomenda que altere as características originais do veículo, pois pode causar mau funcionamento. Você já conhece o Atego 2430? O veículo sai de fábrica com o 2º eixo direcional opcional para ser implementado posteriormente por empresas especializadas. Venha nos fazer uma visita e conheça o modelo de perto. Acesse http://mercedes-benz.com.br/concessionarios e localize os contatos da revenda mais próxima. Abraços e bom fim de semana!

  4. andre oliveira disse:

    Apenas como forma de informar, não adianta ter mais potencia e torque se não tiver um conjunto estou falando em relação ao que li sobre os chassis urbanos.Conheço um gerente de manutenção de uma empresa que informa um custo 30%maior do VW em relação ao MB e tem outra questão a revenda.

    • Mercedes-Benz disse:

      É isso aí, Andre! Os caminhões Mercedes-Benz são a melhor opção para quem precisa de potência e desempenho sem deixar de lado a economia e segurança. Obrigado pelo comentário. Abraços!

  5. Vinicius disse:

    Minha sugestão para o Atron 1635 é uma versão com motor de 370 ou 380cv e tração 6×4, para puxar bitrens e vanderléias. seria uma ótima idéia

    • Mercedes-Benz disse:

      Olá, Vinicius. Obrigado pelo seu comentário e também pela sugestão. Sua mensagem foi encaminhada para a área responsável para ciência. Abraços e ótimo 2014!

  6. cleiton disse:

    Boa noite ao pessoal da Mercedes, olha a opinião de alguns clientes com relaão ao concorrente direto do OF-1721 BlueTec 5.

    Viação Borborema-Imperial – Recife-Pe
    “O consumo de diesel do 17.230 OD é semelhante ao da concorrência. Contudo a vantagem de não usar o Arla 32 confere à operação economia de 3% a 5% do custo total, dependendo da operação, sendo a urbana a que mais se destaca em ganhos”

    Viação Pirajuçara – Taboão da Serra – Sp
    “Na comparação com veículos que adquirimos da concorrência, aferimos economia de 5% com o 17.230 OD, considerando veículos que rodam nas mesmas condições, ou seja, em rota urbana de Embu das Artes a Taboão da Serra.”

    Segundo a Viação Pirajuçara, apenas a economia de diesel dos modelos Euro 5 da Volkswagen é de 3% sobre a concorrência. “Mas com mais torque”, ressalta. “Graças a isso o operador Volkswagen trabalha com folga, porque o veículo não requer tanto esforço para vencer uma rampa, por exemplo. Com isso é possível preservar componentes.”

    Desculpem a minha sinceridade, mas acho que foi um equívoco ter lançado um chassi com PBT de 17 ton, com apenas 208 cv de potência e 780 Nm de torque, quando o ideal teria sido aumentar dos 218 cv e 810 Nm do OF-1722 para em torno de 230 cv e 850 Nm. Principalmente para clientes que utilizam o chassi com 13,20m de comprimento total(ou até com 14m com 3º eixo como no caso da Caxangá de Recife), ar-condicionado ou opera em regiões com aclives acentuados.

    Isso se torna mais curioso quando verificamos o peso dos chassis da Mercedes e os da concorrência. Eu fiz uma tabela, inclusive:

    PESO POTENCIA TORQUE
    B-270F E3 – 4.390kg 270 cv 97kgfm
    B-270F E5 – 4.544kg 270 cv 97kgfm
    17.230 OD – 4.820kg 225 cv 87kgfm
    OF-1722 – 4.866kg 218 cv 83kgfm
    17.260 OD – 4.870kg 256 cv 92kgfm
    17.260 EOD- 4.870kg 260 cv 92kgfm
    OF-1721 – 5.020kg 208 cv 80kgfm
    OF-1724 – 5.168kg 238 cv 87kgfm
    OF-1730 – 5.874kg 305 cv 122kgfm
    F-230 NZ – 5.946kg 230 cv 107kgfm
    F-250 HB – 6.100kg 250 cv 117kgfm

    Por essa tabela, eu vejo que a Mercedes deveria utilizar o aço LNE 60 nas longarinas e eixos dianteiro e traseiro mais leves, para diminuir sobremaneira o peso dos chassis para ônibus e também nos caminhões.

    Por hora é só. Obrigado mais uma vez pela oportunidade de expor minhas opiniões.

    • Mercedes-Benz disse:

      Oi, Cleiton. Obrigado por mais este comentário e por dividir sua opinião com a gente. Seu comentário e os depoimentos que você informou foram enviados para a área responsável para ciência. Abraços!

  7. cleiton disse:

    Negativo Gean, um motor mais forte influencia diretamente no desempenho do veículo, principalmente quando estão acima de sua lotação máxima, como são utilizados pelas empresas aqui no Brasil e trafegando em aclives. E isso independe da aplicação.

    Com relação ao termo “concorrente”, é o termo correto, pois as fabricantes concorrem e disputam a preferência dos clientes pelos seus produtos. E isso acontece não só no segmento de veículos comerciais, mas em todos os segmentos, seja de celulares, supermercados, canais de tv, lojas de departamentos, etc..

    A concorrência é normal e é boa, porque as fabricantes sempre procuram desenvolver seus produtos e oferecer ao mercado produtos cada vez melhores.

    Só uma sugestão, a MBB deveria usar nos testes pré-lançamento, os chassis alongados com 13,20m ao invés dos veículos com 12m, para que os testes ficassem mais próximos da aplicação dos clientes. Aproveito para sugerir também, que seja oferecido a coluna de direção regulável para os chassis da linha OF, permitindo uma melhor ergonomia e mais conforto para os motoristas.

    Abraço a todos e obrigado pela oportunidade de expor minhas opiniões.

  8. Gean de Oliveira disse:

    Pelo que vejo estou em parte correto por sentir falta do Mercedes-Benz OF-1722M.
    Se me permitem ser sincero aqui em BH o que agrada no BlueTec5 é o cheiro de novo.

    De qualquer forma são bons chassis, mas estão atrás dos chassis da outras desenvolvedoras (não gosto do termo “concorrente”. Isso não é, ou não deveria ser, uma disputa).

    Existe também a questão da aplicação.
    Talvez não se faça necessário um motor mais forte. Porém o desempenho tem que ser equivalente ao motor.

    Muito obrigado.
    Até.

    • Mercedes-Benz disse:

      Oi, Gean.

      Para produzir os veículos de nossa marca é preciso muita pesquisa, desenvolvimento de tecnologias e também ouvir o que nossos clientes e usuários têm a nos dizer sobre nossos produtos. Por isso estamos sempre atentos às críticas, elogios e sugestões em todos nossos canais e mais uma vez iremos encaminhar seu comentário para o departamento competente para que seja analisado.

      Abraços.

  9. Eric Batista disse:

    O Atego 2430 ja está disponível para compra?A Mercedes poderia substituir o 1729 cavalo-mecanico por um 1730 automatico,ja que é um cavalo-mecanico e sendo assim tem mais vocação pra estradeiro do que o 2430,ja que investir em um possível ”1730” pra puxar uma carreta pra distribuição nas cidades não seria nada comum,o cambio automatico pra ele também seria uma opção muito boa.
    Li o post do Ivo,bem imagino que a MB não coloque mais potencia nos 1635 justamente por que se tivesse poderia atrapalhar as vendas do Axor,principalmente do 1933,e se colocasse o 1635 com 6×2,atrapalharia as vendas do Axor 2536,mas claro que os 1941 de 23 anos atras tem mais potencia justamente porque eram os Top’s de linha na época,mas minha opinião é que a MB deveria lançar mesmo um Axor 4144 6×4 cavalo-mecanico,e um Actros 4155 6×4 ou 6×6 cavalo-mecanico com mesmo motor do 2655 V8,e com 6×6 poderia passar dos 150 tons. de CMT,acho que seria um modelo ideal para canavieiros,ja que puxar um rodotrem ou bitrenzão num canavial com um caminhão trator de 440 cvs sem atolar não é facil,com mais potencia seria muito melhor,e com certeza,iria aumentar a produtividade das empresas,alem de diminuir as vendas do Trakker 41 tons 480 cvs e do Scania 41 tons 480 cvs,que inclusive os scania’s trator de 41 tons e 480 cvs estão ganhando espaço no setor canavieiro justamente por terem mais potencia e mais capacidade de carga.

    • Mercedes-Benz disse:

      Olá, Eric.

      Agradecemos seu novo comentário e seu interesse em nossos produtos. Faz parte da filosofia da Mercedes-Benz oferecer produtos modernos, confiáveis e que atendam plenamente as demandas do transporte de
      carga rodoviário. Suas sugestões serão encaminhadas aos departamentos competentes para que sejam analisadas.

      Abraços!

  10. cleiton disse:

    Pois é Ivo, essa chacota ocorre também com o OF-1721 BlueTec5. Enquanto o VW 17.230 OD Euro 5, com um motor de 4 cilindros e 4,6 litros tem 225 cv de potência e 850 Nm de torque, o OF-1721 BlueTec5 também com um motor de 4 cilindros e 4,8 litros(com maior cilindrada), tem apenas 208 cv e 780 Nm. Resultado:no trânsito do dia-a-dia ou quando carregado, o chassi VW tem um desempenho melhor que o chassi OF-1721, principamente em aclives, com menos trocas de marchas e mais economia de combustível.

    O mesmo acontece com o chassi OF-1724, enquanto o chassi 17.260 OD tem 256 cv e 900 Nm, o Scania F-250HB com 250 cv e 1150 Nm, o Volvo B-270 F com 270 cv e 950 Nm e o Iveco S-170 com 280 cv e 950 Nm, o chassi da MBB OF-1724, com motor OM-926LA tem apenas 238 cv e 850 Nm(o mesmo do motor de 4 cilindros da VW).

    O chassi de 17 ton de PBT da MBB deveria usar no mínimo, o OM-926LA com a variante de 256 cv e 900 Nm ou na melhor das hipóteses a variante de 286 cv e 1120 Nm de torque. Assim concorreria com mais paridade com os outros modelos do mercado.

    Acho que falta à MBB mais ousadia, lançando produtos com mais cara de Brasil, com potência e torque maiores específicas para o mercadoi brasileiro, sem repetir as versões usadas na Europa, que possui características diferentes de um país continental como o Brasil.

    Por hora é só. Abraço a todos.

    • Mercedes-Benz disse:

      Olá, Cleiton.

      Obrigado pelas suas observações. A Mercedes-Benz trabalha com informações e desejos de seus frotistas, pesquisas e desenvolvimento constantes e entrega ao mercado veículos que atendam a quesitos como custo operacional, confiabilidade mecânica, garantia de baixas emissões de poluentes, durabilidade de componentes, fornecimento de peças genuínas, possibilidade de mistura com biodiesel (além dos 5% regulamentados) entre outros itens. Nem sempre é possível comparar diretamente potência x torque x cilindrada pois existem diferenças de configuração entre uma montadora e outra. Além disso, na produção de veículos, deve se considerar a posição do motor (Dianteiro ou traseiro), a quantidade de correias de acionamento para o ventilador, alternador, etc., que usam potência do motor. Itens como a refrigeração do motor, sistema de tratamento de gases, câmbio, redução de eixo traseiro, carga e regime de trabalho (urbano ou rodoviário) devem ser considerados antes da comparação direta de potência e torque de veículos.
      A configuração dos veículos Mercedes-Benz, aliada à condução e manutenção adequada com uso de peças genuínas e combustível de boa qualidade são itens que certamente otimizam os resultados na utilização de nossos veículos.

      Abraços!

  11. Gean de Oliveira disse:

    E não são só os caminhões que estão fazendo sucesso.
    As ações publicitárias da Mercedes-Benz estão ficando famosas.

    Depois do Funk da Classe A (que admito não ter gostado muito) o comercial do Controle de Estabilidade está sendo muito visto no YouTube.
    Eu não consigo parar de ver: A Mercedes-Benz conseguiu juntar no mesmo comercial tanta coisa que e gosto, incluindo o clássico “Upside Down” da Diana Ross, ritmo bem feito, daqueles que me mostram porque gosto de Hip Hop.

    Eu o vi no blog da Mercedes-Benz Deutschland Personenwagen, se não me engano, a uns três dias, quando foi colocado no YouTube. O vídeo já está com mais de 1.918.537 exibições.

    Taí o link:
    Mercedes-Benz TV: MAGIC BODY CONTROL TV commercial “Chicken”
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=nLwML2PagbY

    Quem sabe não fazem um post.

    Parabéns a Mercedes-Benz pelo Atego e Atron.

    Abraço.

    • Mercedes-Benz disse:

      Olá, Gean. Seja no Brasil ou em outras partes do mundo a Mercedes-Benz impressiona na hora de mostrar seus produtos e tecnologias e com todos os recursos que multiplicam a informação hoje em dia, o alcance dessas ações é espantoso. Abraços!

  12. ivo disse:

    a mercedes devia olhar tambem para o atron 1635s pois seus 345cv e 1450 nm de torque sao motivo de chacota nas estradas lembrando que o seu antecessor o ls 1941 de 1990 motor 12 litros gerava a 23 anos atras 408cv e 1800nm de torque e era motivo de admiraçao de respeito por onde passava um ford cargo gera hoje 420cv um vw contellation gera 400/420 cv o 1635s merece um eixo sem reduçao nos cubos 53t de cmt
    e uma caixa automatica e 401cv visto que e um veiculo que ainda tem muitos admiradores

Deixe uma resposta

    Nós utilizamos cookies

    Queremos melhorar sua experiência de navegação em nosso site. Ao continuar a utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

    Para mais informações, por favor veja nossa Declaração de Privacidade.

    OK